AnáliseSéries

Porca Analisa: Cobra Kai

Final do torneio de Karatê sub-18 de All-Valey. Daniel Larusso, lutador pelo estilo Myiagi-dô, é o campeão. Johnny Lawrence, lutador pelo estilo Cobra Kai, é o vice-campeão. Essa é a história que você conhece e deve se lembrar muito bem.

34 anos se passam desde esse dia fatídico e a vida de cada um dos competidores é bem diferente do que era, sendo evidente o quanto o torneio impactou na vida de cada um. Johnny é um faz-tudo, trabalhando fazendo bicos aqui e ali onde consiga dinheiro suficiente pra pagar seu aluguel e bebida, enquanto Daniel Larusso tornou-se um grande vendedor de carros da região, com o slogan de que ele “chuta a concorrência”.

Após sair para comprar bebidas, Johnny vê seu vizinho Miguel Diaz tomar uma surra de um grupo de bullies e o defende, usando do bom e velho karatê. Miguel então pede para que Johnny seja seu mestre (“você deve me chamar de sensei”) e assim vamos para aquilo que se torna um dos focos principais da série: o retorno do dojo Cobra Kai.

 

Digo um dos focos porque temos dois focos distintos mas que se entrelaçam em vários momentos. O primeiro e mais evidente é a luta interna de Johnny em tomar um rumo na vida, lidando com seu passado questionável e almejando um futuro melhor. A todo o momento são mostrados os questionamentos e lutas pessoais que ele trava para agir de uma forma melhor do que aquela na qual ele fora educado, passando melhores ensinamentos e lições de vida para seus estudantes.

 

O segundo foco, e certamente o chamariz para a série, é o karatê, e o que Johnny faz com ele. Esquecido por muitos anos em sua vida, Johnny reabre o dojo, trazendo novos alunos e reaquecendo a velha rixa que tinha com Daniel Larusso, trazendo também uma mudança de vida no aluno do Sr. Myiagi. “Ataque forte, ataque primeiro, sem misericórdia”, um lema forte e que precisa ser seguido mais firmemente de agora em diante.

E a evolução dos personagens se dá muito bem. Johnny, um bêbado que ainda vive nos anos 80, trás de volta seu karatê e tem que ensinar uma nova leva de lutadores a serem duros com o mundo e não aceitar que os tratem como pessoas frágeis, lidando com os problemas de frente. Daniel, um bem-sucedido pai de família que revê Johnny e vê o quanto o karatê fazia falta em sua vida, e o quanto velhas desavenças são difíceis de esquecer. Miguel, que se vê tentando aplicar os ensinamentos de seu sensei em seus conflitos diários, e um outro personagem chave que não vou dar spoiler mas funciona melhor do que o esperado.

 

A trilha sonora segue aquele padrão do cara que não saiu dos anos 80, então tem bastante Hard Rock e algumas referências á cultura da época – o que nem de longe é ruim. Você deve baixar aquela sua coletânea dos anos 80 novamente e ficar ouvindo por uns dias a fio sem maiores arrependimentos.

Cobra Kai é mais uma história de superação, onde o passado bate a porta, com todos os erros cometidos e as marcas que eles trouxeram. Com um elenco bom e atuações na média, Cobra Kai entregou um pouco mais do que eu esperava, principalmente na reta final. Com uma temporada de 10 episódios, não sobra muito tempo pra encher lingüiça e ganhamos uma série sucinta, que te prende do começo ao fim. Recomendado pelo careca, sem dúvidas.

Trailer da série:

Etiquetas

Artigos relacionados

Comente aqui...

Verifique também

Fechar
Fechar